sábado, maio 27, 2006

Os Artic Monkey no Garage Por Quem lá esteve...

O Negrão disse que foi assim:

Ao entrar no Paradise Garage, todo o detentor de bilhete se deparou com uma situação com a qual não contava: todo o equipamento de vídeo/fotografia portátil teria de ficar no bengaleiro, devido a normas de segurança (segundo quem se encontravam de serviço àquela hora). Isto significava que o concerto iria ficar apenas gravado na memória dos fãs.O Garage transmitia um ambiente apertado e acolhedor dando aos fãs a certeza de que o concerto iria ser bem quente e suado. Suaves vozes rapidamente se transformaram em berros explosivos de apelo à compra de merchandise da banda britânica. “T-shirts!! Get your fucking shirts!! Get your fucking T-shirts!!”, berravam 2 ingleses cada vez mais entusiasmados com o número de t-shirts que estavam a vender. Para o espanto de muitos fãs que se dirigiam à banca para adquirir uma t-shirt, em cima de 2 balcões ao lado encontravam-se bem refastelados/deitados Andy Nicholson e Matt Helders, baixista e baterista da banda, respectivamente.A expectativa ia crescendo à medida que o Garage ia enchendo, notando-se uma grande presença de rostos jovens e imberbes – os putos vieram para a festa!

The Vicious Five:
Devido à desistência de última hora dos Milburn, vizinhos de bairro dos Arctic Monkeys, a vaga teve de ser preenchida pelos lisboetas The Vicious Five, que abririam assim a noite de concertos no Garage. Apresentando-se formalmente com um “Olá nós somos os The Vicious Five”, iniciaram o concerto com uma cover de um clássico dos Ramones, Blitzkrieg Bop, o que rapidamente captou todo o Garage, embora aquele não fosse o seu público, de todo. Apesar de não se sentirem em casa, os V5, que tocaram vários temas do seu novo álbum, mostraram-se capazes de manter um ritmo contagiante ao longo do concerto, muito graças ao activo e semi-extravagante vocalista Joaquim Albergaria, cuja interacção com o público e energia em palco relembravam um pouco Mick Jagger ou, mais recentemente, Pelle Almqvist (The Hives). Despediram-se respeitosamente com um “não se vão embora, vêm aí os Arctic Monkeys”.

Arctic Monkeys:
Mal os rapazes de Sheffield entraram, a ovação tomou conta do Garage. Saudando a multidão com um simples “evenin’!”, os Monkeys entraram e conquistaram. Rompendo com “The View From The Afternoon”, os músicos britânicos fizeram com que o público repentinamente libertasse, com toda a sua fúria, a energia contida no concerto dos portugueses. Rapidamente se instalou um caos de corpos em movimento: mosh, crowd surfing e muito aperto foi sentido por toda a gente no Garage. À segunda faixa, já se sentia o calor no Garage: um festival de suor e contacto humano tinha-se instalado e iria ficar até ao final. Com as letras todas na ponta da língua, a multidão ia ficando cada vez mais empolgada com a transição entre faixas, sem paragens, feita pelos AM. Apesar de manterem uma certa distância em relação ao público, entre algumas músicas, Alex Turner pronunciou-se brevemente, dizendo coisas como “this is the last show of the tour… so let’s make it a good one!” e “you’re a fantastic crowd!”, o que deixava os fãs cada vez mais loucos. De entre as músicas tocadas, destacam-se “When The Sun Goes Down”, entoada por todo o Garage num som estrondoso que deixou os próprios britânicos perplexos, “Still Take You Home”, onde o mosh se tornou intenso como nunca, “Who The Fuck Are Arctic Monkeys”, que apesar de ser relativamente nova captou o público bem melhor que muitas faixas do álbum, e “A Certain Romance”, que finalizou o concerto em esplendor, a chamada piéce de resistance.A satisfação dos fãs era visível: uma multidão de rostos viu os AM partir com uma expressão de desalento, mas também de agradecimento pelo fantástico espectáculo, deixando no ar uma ideia de “quando cá voltarem… estaremos à vossa espera”. O hype confirmou-se (a seu tempo!), e o concerto certamente não será esquecido, ficando para sempre gravado na memória daqueles se deslocaram ao Garage para aquela noite mágica.Resta-nos agora aguardar por um regresso dos Arctic Monkeys a Portugal…


by Eduardo Negrão to QueijoDerretido

Para os que ficaram cheios de inveja por não terem ido, como eu, e para os que foram não se esquecerem mais, fica aqui algum consolo:

(MP3) Arctic Monkeys - Who the fuck are Arctic Monkeys
(Mp3) Arctic Monkeys - I Bet You look Good..(Live at BBC Radio Bristol)
(Mp3) Arctic Monkeys - Cigarrete Smoke
(Mp3) Arctic Monkeys - Curtains Close/Rockaffela Skank

E o Myspace com mais 4 musicas para download dos Vicious Five que se não conheciam deviam conhecer...

7 comentários:

#andRé disse...

Bloc party no paredes de coura,no mmo dia dos yeah yeah yeahs =D

Negrão disse...

aah, um muito obrigado ao queijo: foi aqui q conheci arctic monkeys:P

l_l disse...

Oficial:Paredes do Coura melhor festival do mundo!!
Parabens pela exelente reportagem negrão!!obrigado a ti!!

Laís disse...

blod foda. pena que eu não consigo abrir os links das mp2 =/

Laís, ops! disse...

*mp3

l_l disse...

carrega com o botão direito do rato e faz guardar link como...
deve dar...

Anónimo disse...

Best regards from NY! toon sex games buspirone pills side affect